O Diário de Bordo do Coronel Hiram Reis e Silva, construído em parceria com o Clube de História do Colégio Militar de Porto Alegre, relata projetos de navegação a caiaque realizados pela região amazônica.
Fase 1: Tabatinga-Manaus (concluída em fevereiro de 2009). Fase 2: Rio Negro (concluída em 20 de janeiro de 2010).

Percursos percorridos na Fase 1 e Fase 2

Percursos percorridos na Fase 1 e Fase 2
Mapa produzido pelo Globo Amazônia

Praia da Pedreira: Ponto de partida para a travessia da Lagoa dos Patos

A Praia da Pedreira, ponto de partida dessa fase de treinamento para a descida do Rio Negro na Amazônia, é uma das praias do Parque Estadual de Itapuã no Rio Grande do Sul. Localizado a 57 km da capital, o Parque de Itapuã protege a última amostra dos ecossistemas originais da Região Metropolitana de Porto Alegre com campos, matas, dunas, lagoas, praias e morros às margens do lago Guaíba e da laguna dos Patos. Nas suas formações vegetais, ocorrem mais de 300 espécies, destacando-se a figueira, a corticeira-do-banhado, o jerivá, o butiazeiro, além de orquídeas, cactos e bromélias. A Lagoa Negra, com 1750 hectares, é o ponto de parada de aves migratórias, como o trinta-réis e batuíras.

"O Parque Estadual de Itapuã foi criado em 1973 e fechado 18 anos depois, sendo reaberto apenas em abril de 2002. A área de 5,5 mil hectares, onde está localizado o parque foi palco de combates durante a Revolução Farroupilha. Na tentativa de impedir a passagem de navios imperiais vindos do Rio de Janeiro, os farrapos construíram fortes nos morros chamados de Itapuã e de Fortaleza. Em 1836, 32 soldados farrapos morreram no Morro da Fortaleza, vítimas de um ataque imperial. Duas embarcações farroupilhas também estão afundas perto da Praia das Pombas."
Texto publicado em Zero Hora 29/04/2003





Parque Estadual de Itapuã

Um comentário:

Natureza e Paz disse...

Gostei muito de visitar este blog, mas será que poderiam colocar os seguidores?
Um forte abraço a todos.